A Laboriosa 89 e o Oswaldo.

A Laboriosa 89 é um laboratório de experiências sobre (e com) comunidades, abundâncias e convivências. Que se iniciou em uma casa, na rua Laboriosa 89, na Vila Madalena em São Paulo.

E a ideia de fazer algo veio de uma pessoa, o… :

Sou o Oswaldo Oliveira.

Fui eu quem iniciou a Laboriosa89.

E continua ele: … Fiz isso pois queria testar a ideia de que se a gente se organizasse incluindo conseguiríamos ter um ambiente de abundancia.

Eu desconfio que teve gente muito perto dele que o apoiou muito nesta “experiência psicodélica”. Mesmo porque a experiência é psicodélica demais para se fazer sozinho (e aqui entra uma música de um disco muito psicodélico dos Beatles para funcionar como trilha sonora).

Nunca gostei  da ideia com a qual nos fomos criados de que “não tem para todo mundo”.

Ela exclue as pessoas e não gera nada de bom. Só deixa todo mundo com medo.

Quero viver em um ambiente de mais amor e confiança e acho que isso pode acontecer se nos organizarmos de uma forma diferente daquela que aprendemos na sociedade industrial.

[trilha sonora When I’m Sixty-Four]

E ele foi fundo neste desejo, por que arranjou a casa (a segunda casa, aliás, o primeiro experimento foi com uma parte de uma casa na rua Madalena, 90) e “…paguei o primeiro ano de aluguel para me ressarcir depois, quando a comunidade já tivesse criado seus vínculos.”

[trilha sonora Fixing a Hole]

Mas um ano, para este tipo de experimento, passa rápido. E o que acontece agora? Acontece que “… o aluguel vence em 15/01/2015 e, independentemente do meu ressarcimento, não vou poder pagar o segundo ano.”

Aqui entra mais trilha sonora, e convenientemente coloco o “With a Little Help from My Friends” .

E algumas considerações devem ser feitas a esta altura do texto: uma delas é que este experimento sempre foi pensado para acontecer em rede e com o menos possível de chefes, gurus ou algo que o valha (embora se aceite que continuamos sendo humanos, então as vezes “acontece de acontecer” que… alguém esteja querendo ser chefe, guru ou algo que o valha, mas daí os outros percebem e mudam isso).

[ e mais With A Little Help From My Friends]

Também se deve ter a percepção que a “rede” não é só a casa. A rede é formada pelas pessoas que frequentam (com mais frequencia ou com menos frequencia) a casa, as que estão no grupo do Facebook, as que estão no grupo Empreender-se do Facebook, as pessoas que se sentem de alguma forma tocadas pela experiência… e por aí vai.

[ e mais (2) With A Little Help From My Friends]

Por que é este o caso: se algo é relevante, inovador (e sempre vai ser, isso sempre vai estar na famosa fase “beta”, acontecendo enquanto acontece), é uma experiência relevante à vários, por que não contar com uma “pequena ajuda de meus amigos”, simpatizantes, desconhecidos para viabilizar financeiramente isso?

Foi o que ocorreu a vários em outubro: “…para isso criamos a campanha 1000×20 na plataforma Unlock. Neste link todos podem se comprometer com uma contribuição mensal recorrente com cartão ou boleto bancário.

Só o Unlock em si já merece a visita, o site é na verdade uma plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) em que cada um gerencia o seu próprio projeto e colabora para o projeto de sustentação dos criadores dela.

Porque “a ideia é que todos contribuam um pouquinho, independentemente do uso dos espaços físicos e virtuais da laboriosa89. A lógica é contribuir somente porque quer que o ambiente exista e continue inclusivo para todo mundo.”

[trilha sonora  A day in the Life]

Diz o Oswaldo: “ … tem um vídeo no meu canal do youtube explicando melhor tudo isso.

Você pode vê-lo nesse link: http://youtu.be/BNs4K3gK5bg“.

E continua: “…eu estou a disposição de todos, física e virtualmente, para explicar melhor meus conceitos e ideias e mostrar também as oportunidades que um ambiente inclusivo e abundante traz para as pessoas e as organizações… “ porque “… é  um ambiente novo e é normal não saber como aproveitá-lo” e “… pode me chamar para um papo se estiver na lab ou por inbox no facebook ( https://www.facebook.com/oswaldooliveirao2 ) quando eu estiver online.

Termina ele “ …queria te convidar para, se ainda não o faz, contribuir financeiramente com a laboriosa89. Se já contribui ou não pode contribuir por qualquer motivo, continue frequentando com alegria e amor no coração o ambiente e, se puder, ajude na divulgação da campanha compartilhando-a com suas conexões.”

Termino eu: sonhos não são feitos de nuvens (embora eu as ache particulamente bonitas), são feitos de alguma coisa que flui com/para/entre pessoas. Se estas pessoas não tiverem coragem de enfrentar suas crenças-limitantes com relação a dinheiro e a novos modos de convivência, como os sonhos-realidade acontecerão?

E finalizo com a [trilha sonora Within You Without You] porque … vai ser com você ou sem você?

 

Deixe uma resposta